A convivência familiar e seus desafios na pandemia

Esse tempo de pandemia colocou as famílias numa situação de convívio intenso, com diferentes necessidades a serem atendidas ao mesmo tempo e num mesmo lugar


As mudanças em relação ao tempo e espaço que ocupamos fizeram-nos repensar a vida em família e descobrir recursos que nem sabíamos que existiam, como tolerância, criatividade, solidariedade e cooperação. Porém, também surgiram muitas dificuldades e conflitos com todas essas novas demandas, gerando sentimentos como insegurança, intolerância, irritabilidade, desânimo e desesperança.


O ambiente familiar tornou-se o lugar mais seguro, porém também o mais desafiador para se estar. A convivência intensa trouxe à tona conflitos e dificuldades que já existiam, mas que estavam adormecidos ou jogados para “baixo do tapete”.


Quando se trata de família é preciso entender que cada pessoa tem um papel, ou um jeito de funcionar dentro dela, onde o comportamento de um influencia e é influenciado pelos demais. Essa forma de funcionamento constitui um padrão de interação familiar, que pode favorecer ou dificultar a resolução de problemas ou conflitos.


Os padrões confirmadores da existência de cada um, onde ocorre aceitação e valorização de uns para com os outros, tendem a promover um ambiente mais acolhedor e colaborativo, permitindo que cada pessoa sinta-se amparada e respeitada em suas posturas, pontos de vista e no seu jeito de ser.


Já os padrões mais desconfirmadores e agressivos, onde o desrespeito e a desvalorização do outro são constantes, tendem a promover um ambiente inseguro e perigoso, gerando comportamentos defensivos como forma de proteção aos ataques dos familiares.



Pai, mãe e filho em refeição ao redor da mesa
Famílias em situação de convívio intenso em tempos de pandemia.



Em momentos de crise como esse que estamos vivendo, o estresse tende a agravar o limiar de tolerância das pessoas, dificultando ainda mais a convivência. Por isso é necessário que cada família, ao se deparar com as impossibilidades e frustrações geradas por todas as mudanças que estamos enfrentando, tome consciência sobre a forma como vem se relacionando entre si e como cada um tem contribuído para o agravamento ou para a solução de problemas.


Apesar de todo esse cenário, é importante lembrar que a maioria das famílias também possui características positivas, mas algumas delas, infelizmente não conseguiram desenvolver ao longo da sua existência.


Portanto, sempre é tempo de parar, refletir e buscar os potenciais de tolerância, validação e colaboração que cada família possui, fortalecendo assim os vínculos e tornando a convivência familiar uma ferramenta importante para acolher e fortalecer os seus membros no enfrentamento de tantas dificuldades geradas por esse momento.