O que fazer quando o casamento está por um fio?

Em situações graves onde a relação está prestes a se romper, os casais tentam de tudo para evitar que isso aconteça.


Alguns discutem exaustivamente a relação na tentativa de chegar a um acordo ou resolver as pendências. Mas, discutir os problemas num momento de crise sem a ajuda de um terapeuta de casal é uma tentativa que pode desgastar ainda mais a relação e tornar a crise insuportável.


Mas porque é tão difícil sair de uma crise sozinhos?


Primeiro porque é muito difícil enxergar com clareza quando se está no meio de uma tempestade, e nesse caso ambos estão. Segundo porque o casamento não entra em crise de uma hora para outra e durante esse processo o casal acaba desenvolvendo um padrão de comunicação engessado, sem criatividade, pois cada um fica preso nas suas certezas e sentimentos sem ouvir verdadeiramente o que o outro diz. Ao invés dessas conversas serem positivas, com o passar do tempo e com as inúmeras tentativas frustradas de resolver os problemas, o casal pode desistir e acabar acreditando que é impossível sair dessa situação e ser feliz ainda nesse casamento.


Outra tentativa muito comum é fazer uma segunda lua-de-mel. O casal imagina que longe dos problemas do dia-a-dia e num lugar lindo e romântico a magia dos desejos e do amor retornarão e que voltarão para casa felizes e sem problemas.


Essa tentativa pode ser positiva quando é feita em conjunto com ações que ajudem o casal a resolver os seus problemas, mas de forma isolada pode ser muito frustrante. Pois, quando existem mágoas, decepções, confusões e outros sentimentos comuns às crises é impossível resgatar o carinho, o desejo, a cumplicidade e a vontade de estar perto do outro.


Algumas expectativas irreais também interferem na forma como os casais enfrentam as crises, trazendo sentimentos de frustração e desânimo, dificultando ainda mais a tomada de novas atitudes.


A primeira delas é a expectativa de que o casamento volte a ser o que era na época em que se casaram. Essa é uma expectativa que será frustrada, porque com o passar dos anos as pessoas se desenvolvem, amadurecem e se transformam, tanto os homens como as mulheres. Então , é o momento de construir uma nova relação com o parceiro real de hoje em dia, com seus defeitos, manias e qualidades, sem esperar que ele ou ela volte a ser aquele do início.


Outra expectativa é que rapidamente tudo seja maravilhoso, que exista muito desejo, muito sexo, carinho e assuntos. Isso também pode ser frustrado, pois é um momento em que o casal precisa construir novamente todos esses sentimentos e desejos, pois eles não retornam de uma hora para outra , como mágica, precisam de paciência, boa vontade, amor e tempo de qualidade juntos.


Aliás, ter tempo de qualidade juntos é fundamental para o casal conseguir atravessar a crise e sobreviver.


Toda vez que temos um bom encontro com alguém ficamos com uma memória positiva daquele encontro, então temos vontade de encontrar de novo aquela pessoa, pois a nossa mente irá associar a pessoa a sensação agradável que ela produz. Ao contrário, quando experimentamos momentos desagradáveis com alguém, não temos vontade repetir o encontro, e a nossa mente também associa a pessoa a sensação gerada no encontro com ela. O que faz com que queiramos evitar um novo encontro.


Num casamento que já está em crise quanto mais o casal conseguir criar situações para terem bons encontros maior será a chance de resgatarem a intimidade emocional e a sensação de ser único para o parceiro.