Psicodrama

“Toda segunda vez é a libertação da primeira.” Jacob Levy Moreno

psicodrama.jpg
psicodrama

A segunda vez citada nessa frase de Moreno, fundador do psicodrama, refere-se à possibilidade oferecida ao ser humano, de experimentar num contexto protegido pelo setting terapêutico situações e conflitos pela segunda vez. 

 

Segundo acreditava, essa segunda vez gera uma nova percepção e uma forma diferente de responder aos antigos problemas.

 

Utilizamos o termo “Psicodrama”, pois esse popularizou-se dentro da Socionomia, ciência criada por Jacob Levy Moreno. A Socionomia é a ciência que estuda as leis que regem o comportamento individual e grupal. Da Socionomia advém o Psicodrama, que é o tratamento do indivíduo ou grupo através da ação dramática. 

 

Moreno foi considerado pioneiro em sua época por contribuir com inovações na forma de tratar as doenças mentais. Fez uma mudança significativa no setting terapêutico, que até então tinha como modelo o setting psicanalítico. Neste, o psicoterapeuta se colocava de forma neutra, atrás do paciente, sem que tivessem contato visual.

 

No psicodrama, é necessário que ocorra um encontro verdadeiro entre dois seres humanos; propôs a passagem do tratamento individual para o tratamento do indivíduo em grupos; transformou o método de tratamento, passando de métodos verbais, para o tratamento através de métodos de ação e trouxe uma visão ampliada em relação ao homem, colocando o foco em sua totalidade, no seu potencial e aspectos positivos.

 

Sua visão de homem era de alguém possuidor de uma centelha divina, herdada do criador, dotado de espontaneidade e criatividade, mas que ao longo da vida iria perdendo essas características. Portanto, cabia ao psicodrama trazer de volta a espontaneidade e criatividade perdidas.

 

Foi através do teatro de improviso, em 1921, em Viena, que ele descobriu o efeito terapêutico que a dramatização espontânea tinha sobre os atores. A partir daí desenvolveu suas bases teóricas, práticas e pesquisas, deixando um legado valioso para se tratar o homem em sociedade. 

  

Um dos maiores benefícios do psicodrama é o de ajudar o paciente a assumir a autoria da própria vida, adotando um papel ativo e responsável diante dos seus problemas.